2022-09-28 18:35:00 Jornal de Madeira

Futura linha de alta velocidade coloca Leiria a 40 minutos de Lisboa

A cidade de Leiria vai ficar a “apenas" 40 minutos de Lisboa, através da linha ferroviária de alta velocidade, um projeto que vai contemplar o concelho com uma estação, adiantou hoje a Câmara. A solução foi revelada hoje no Porto, onde decorreu a apresentação da nova linha de alta velocidade Porto–Lisboa, uma cerimónia com as presenças do primeiro-ministro e do ministro das Infraestruturas e da Habitação, tendo o Município de Leiria sido representado pelo seu presidente, Gonçalo Lopes, refere uma nota de imprensa da autarquia. Segundo o município, a estação de Leiria será paragem para a ligação ferroviária de alta velocidade, mas também efetuará articulação com a Linha do Oeste, que será igualmente alvo de requalificação. “Com este investimento, Leiria ficará a apenas 40 minutos de distância de Lisboa, o que representa uma verdadeira revolução na nossa relação com a capital”, destacou Gonçalo Lopes, citado no comunicado, ao considerar tratar-se de um projeto de enorme importância para o futuro do país e "muito em especial para Leiria", que regista uma redução de 02:30 na deslocação para Lisboa e 02:07 para o Porto, de comboio. Em breve será dado início aos trabalhos para a definição da configuração estação, que apresenta a especificidade de fazer a articulação com a Linha do Oeste que vai estabelecer ligação à futura linha da alta velocidade através de Leiria, informa o município. A Câmara de Leiria refere que, "numa primeira fase, será construído o troço entre Porto e Soure, estando Leiria integrada no segundo troço, entre Soure e o Carregado, que deverá estar concluído em 2030, seguindo-se um terceiro troço até Lisboa". A nova linha de alta velocidade vai garantir a ligação entre Lisboa e Porto em apenas 01:15 (no serviço direto), oferecendo 60 serviços diários, estimando-se que o número de passageiros, conjugado com a Linha do Norte, se cifre em 16 milhões, acrescenta a nota. O ministro das Infraestruturas, Pedro Nuno Santos, defendeu hoje que depois de "décadas de desinvestimento", o protejo da alta velocidade, Lisboa-Porto-Vigo é "mais um passo na revolução" em curso na ferrovia. "Depois de décadas de desinvestimento na ferrovia, de encerramento de linhas e de prioridade na rodovia e transporte individual, não consigo usar outra palavra para descrever o que estamos a fazer: revolução", afirmou Pedro Nuno Santos. O ministro, que marcou presença de manhã no terminal ferroviário de Campanhã, no Porto, para a apresentação do projeto de alta velocidade para ligação de Lisboa ao Porto e Porto a Vigo (Espanha), afirmou que hoje "se começa a desenhar mais um passo na revolução" levada a cabo na ferrovia portuguesa.

Pesquisa

Partilhe


Email Netmadeira