2022-07-03 12:36:00 Jornal de Madeira

Tanto “a Madeira como o mundo precisam de passar da economia liberal para a Bioeconomia sustentável”, diz o PAN Madeira

O PAN Madeira, que diz ter acompanhado a Cimeira dos Oceanos, assume que o desenvolvimento sustentável deve ser ele próprio a base não só da economia, mas da sociedade no seu todo. Mais defende que os crimes contra a natureza – o ecocídio – tenham moldura penal e que aqueles que atentem contra o património coletivo sejam condenados a penas agravadas. Tanto “a Madeira como o mundo precisam de passar da economia liberal para a Bioeconomia sustentável e essa é a esperança que, no entender do PAN Madeira, sai da Conferência dos Oceanos e da Declaração de Lisboa”, indica, num comunicado enviado às redações. A esperança de edificarmos uma economia com consciência, que é capaz de vislumbrar valor na preservação dos ecossistemas que respeite a sua sustentabilidade. Que tenhamos a coragem de estudar os oceanos e a vida neles contida em vez de os destruir, de preservar espécies em vez de as extinguir. “Ainda hoje passados 32 anos se veem consequências da tragédia de março de 1990 no Porto Santo”, disse, referindo-se à “maré negra” que ‘manchou’ a ilha dourada depois de o petroleiro ‘Aragon’ ter derramado várias toneladas de crude.   

Pesquisa

Partilhe

Email Netmadeira