2022-01-25 09:10:00 Jornal de Madeira

"PSD não resolveu um único problema pela Madeira" e não podemos voltar ao passado, alerta Carlos Pereira

Carlos Pereira acusou, hoje, o PSD de não ter resolvido nenhum problema pela Madeira.  Pelo contrário, disse que todos nos lembramos dos problemas criados pelos social-democratas e advertiu que não podemos deixar que tal volte a acontecer. Num comício realizado no miradouro de São Roque, no Funchal, o cabeça de lista do PS-M pelo círculo eleitoral da Madeira recordou que entre 2012 e 2015 o PSD e o CDS acabaram com o 13.º mês, com os subsídios de férias, reduziram salários e congelaram pensões. "Nada disto pode voltar a acontecer. Nós temos de ter muito cuidado com o que vamos fazer no dia 30 de janeiro, para evitar que isto aconteça", disse, alertando que o Orçamento do Estado para este ano previa o aumento dos salários e das pensões, mas foi chumbado por partidos irresponsáveis. Carlos Pereira lembrou a inércia dos deputados do PSD-M na Assembleia da República, bem como os maus momentos da governação de Passos Coelho e Paulo Portas, salientando que não podemos regressar ao passado e que é preciso dar uma maioria ao PS para ter uma governação estável e continuar a ser possível defender a Região. O candidato disse que o PS tem uma lista de dossiês resolvidos e tem ainda muitas coisas para fazer pela Madeira, ao contrário do PSD, que só tem uma "lista de protestos" e não vai resolver nenhum problema. "Nós, madeirenses, não queremos aquela gente a governar o País, porque não resolvem os nossos problemas", vincou. Por outro lado, disse que no Orçamento do Estado para este ano estava previsto o aumento das pensões e dos salários, mas o mesmo foi chumbado por "partidos irresponsáveis". "Rui Rio não quer baixar impostos, não quer aumentar o salário mínimo, não quer aumentar os salários da administração pública e nós temos de impedir que governe o país, para garantir que a Madeira fica melhor", declarou. Pereira sublinhou que o PS é o único partido que tem uma agenda para a Madeira, razão pela qual é preciso garantir uma vitória no próximo domingo. Lembrou ainda que os Governos do PS foram os únicos que têm ajudado a Região, apontando os exemplos dos apoios para fazer face ao temporal de 2010 e o cofinanciamento do hospital. "Sempre que há um problema e os madeirenses precisam, o PS não vira as costas", disse ainda.   Sérgio Marques "não tem pachorra" para a Assembleia da República   Por seu lado, o presidente do PS-Madeira apontou baterias ao cabeça de lista do PSD-M, Sérgio Marques, que acusou o secretário-geral do PS de não ter "pachorra para as Regiões Autónomas". "Um deputado que não tem pachorra para a Assembleia da República não tem moral para dizer que António Costa não tem pachorra para as Regiões Autónomas", afirmou Paulo Cafôfo, adiantando que o secretário-geral socialista começou a campanha nos Açores e na Madeira e, no espaço de um ano, já visitou a Região três vezes, ao contrário do líder social-democrata. Cafôfo salientou ainda que António Costa tem sido amigo da Madeira em vários momentos e matérias, explicando que, se assim não fosse, não teríamos um hospital cofinanciado pelo Governo da República, dado que a Saúde está regionalizada. Outro exemplo dessa solidariedade foi a redução dos juros da dívida. O líder do PS-M lamentou ainda o facto de, no meio da uma crise social que o país atravessava, ter havido partidos que resolveram criar uma crise política. Por isso, disse que os mesmos têm de ser responsabilizados nas eleições deste domingo. Elogiou ainda a equipa de candidatos do PS, que está disposta a defender a Madeira acima de tudo e fará toda a diferença na próxima legislatura.

Pesquisa

Partilhe

Booking.com

Email Netmadeira