2022-12-05 12:35:00 Jornal de Madeira

Governo Regional mentiu aos madeirenses e não cumpriu quase metade das promessas que fez, acusa PS

O líder parlamentar do Partido Socialista acusou, hoje, o Governo Regional de mentir aos madeirenses e de, a menos de um ano do final do mandato, não ter cumprido quase metade das promessas que fez à população. Em conferência de imprensa realizada esta manhã, Rui Caetano disse que não só o Executivo não cumpriu quase metade do Programa de Governo, como as próprias intenções que foram sendo apresentadas ao longo destes anos também não foram concretizadas. O dirigente socialista denunciou a "propaganda" feita ano após ano pelo Executivo de que iria resolver os diversos problemas estruturantes com que a Região se defronta e lamenta que o Orçamento Regional para 2023, que será debatido na próxima semana, não responda às dificuldades dos madeirenses. A área da saúde foi um dos exemplos apontados pelo líder parlamentar do PS, dando conta que as listas de espera duplicaram desde que Miguel Albuquerque chegou ao Governo. Conforme adiantou, existem atualmente cerca de 118 mil atos médicos em espera. A isto, juntam-se os mais de 71 mil madeirenses que continuam sem médico e enfermeiro de família, bem como o facto de, ao contrário do prometido, o Executivo continuar a não abrir as urgências de Santana e Porto Moniz durante 24 horas por dia. A um outro nível, Rui Caetano disse que o Governo não cumpriu também nas áreas da inclusão e do social, apontando o facto de Madeira continuar a ser a região do país com maior índice de risco de pobreza e exclusão social. "São mais de 73 mil madeirenses que estão nesta faixa do limiar da pobreza e da exclusão social", disse, alertando igualmente para as dificuldades por que passa a classe média, devido à falta de políticas por parte do Executivo que ajudassem as empresas a melhorarem os salários. O falhanço na área da formação profissional e das qualificações, o facto de a Região ter cerca de 9 mil jovens entre os 16 e os 34 anos que não trabalham nem estudam e de cerca de 17 mil pessoas terem sido obrigadas a emigrar por falta de oportunidades foram outros exemplos apontados pelo deputado socialista. Rui Caetano não escondeu igualmente os problemas da insegurança e do consumo de drogas, alertando que a Madeira é a região do País onde o consumo das substâncias psicoativas é maior. Situações que, frisou, devem-se ao modelo de desenvolvimento errado que o Executivo tem vindo a implementar. "É um Governo Regional que não encontra as medidas políticas necessárias e enquadradas com a nossa realidade. É só propaganda e mentir aos madeirenses", acusou. O líder parlamentar socialista criticou ainda que o Governo continue a não aplicar o diferencial fiscal de 30% nas taxas do IVA e em todos os escalões de IRS, não aumentando, desta forma, o poder de compra dos madeirenses.  

Pesquisa

Partilhe


Email Netmadeira