2021-12-03 18:04:00 Jornal de Madeira

Covid-19: EUA enviam para África nove milhões de doses de vacinas num só dia

Os Estados Unidos da América (EUA) enviaram hoje 11 milhões de doses de vacinas contra a covid-19 para outros países, das quais nove milhões se destinam a África, anunciou a Casa Branca. O chefe do grupo de trabalho anti-pandemia do Governo norte-americano, Jeff Zients, fez o anúncio numa conferência de imprensa, sem especificar para que países as vacinas foram enviadas. Esta nova entrega eleva para 100 milhões o número de doses que os EUA enviaram para o continente africano. O Presidente norte-americano, Joe Biden, disse na quinta-feira que o seu executivo irá entregar mais 200 milhões de doses de vacinas a outros países nos próximos 100 dias, ou seja, até meados de março, em resposta ao aparecimento da variante Ómicron do coronavírus SARS-CoV-2, detetada pela primeira vez na África do Sul. Esta doação acelerada de vacinas no estrangeiro elevará para 1,2 mil milhões as doses que os EUA se comprometeram a partilhar com outras nações e procura conter o aparecimento de variantes como a Delta ou a Ómicron. Os EUA estão a enviar mais doses para África depois de terem imposto restrições aos viajantes da África do Sul e de outros sete países da África Austral na segunda-feira. Zients observou que os 11 milhões de doses representam o maior número de doses que os EUA já enviaram para o estrangeiro num único dia. O coordenador da Casa Branca da equipa de resposta à covid-19 recordou o compromisso de Biden de derrotar o vírus em todo o lado para "proteger o povo americano e a economia". "É no nosso próprio interesse, é a nossa obrigação moral", disse. Zients sublinhou ainda que até agora os EUA enviaram 291 milhões de doses para 110 nações, "gratuitamente e sem qualquer obrigação". A covid-19 provocou pelo menos 5.233.111 mortes em todo o mundo, entre mais de 263,61 milhões infeções pelo novo coronavírus registadas desde o início da pandemia, segundo o mais recente balanço da agência France-Presse. A doença respiratória é provocada pelo coronavírus SARS-CoV-2, detetado no final de 2019 em Wuhan, cidade do centro da China, e atualmente com variantes identificadas em vários países. Uma nova variante, a Ómicron, foi recentemente detetada na África do Sul.

Pesquisa

Partilhe

Booking.com

Email Netmadeira