2021-12-02 18:16:00 Jornal de Madeira

Covid-19: FC Porto limita lotação de recintos para evitar testes aos espetadores

O FC Porto seguiu o caminho de vários outros clubes, incluindo Sporting e Benfica, e reduziu a lotação do Dragão Arena para 1.000 espetadores, e para 5.000 nos jogos da equipa B e formação, informou hoje o clube.   A medida permite que não seja necessário apresentação de um teste negativo ao coronavírus responsável pela pandemia de covid-19 para entrar no pavilhão ou para aceder aos recintos onde a equipa B ou as diferentes equipas da formação atuem como visitadas, nomeadamente o Olival. Para os jogos da equipa principal seja qual for a competição, passa a ser obrigatório a apresentação de teste PCR ou antigénio ou certificado de recuperação, sendo que passam a existir pontos de testagem certificados junto ao Estádio do Dragão. A nova medida para o público já se fará sentir no FC Porto-Atlético Madrid da sexta jornada da fase de grupos da Liga dos Campeões, na terça-feira. "As regras para o acesso a recintos desportivos foram recentemente revistas pelo Governo, em resposta à nova fase da pandemia de covid-19 que o país atravessa. Nesse sentido, o FC Porto adaptou-se e informa, agora, das regras de acesso que já estão em vigor", explicou o clube. Medidas similares já tinha sido tomadas na quarta-feira por Sporting e Benfica e hoje por Paços de Ferreira, Gil Vicente, Vizela e Boavista. O Portimonense emitiu um comunicado a lembrar aos seus sócios que a lotação do estádio é inferior a 5.000 espetadores, pelo que é dispensada a apresentação do teste negativo em caso de o espetador ter a vacinação completa. Outros recintos, como o do Arouca e do Tondela, também têm lotação inferior aquele limite. O acesso a eventos desportivos com assistência superior a 5.000 espetadores, ao ar livre, e mil espetadores, em recinto fechado, está desde 01 de dezembro, quarta-feira, condicionado à realização de testes de rastreio ao coronavírus. Até aquela data, dia em que Portugal continental passou a estar em situação de calamidade, o acesso a eventos desportivos estava apenas dependente da apresentação do certificado de vacinação ou de teste negativo. Em Portugal, desde março de 2020, morreram 18.471 pessoas e foram contabilizados 1.154.817 casos de infeção, segundo dados da Direção-Geral da Saúde. A doença respiratória é provocada pelo coronavírus SARS-CoV-2, detetado no final de 2019 em Wuhan, cidade do centro da China, e atualmente com variantes identificadas em vários países. Uma nova variante, a Ómicron, foi recentemente detetada na África do Sul, tendo sido identificados, até ao momento, 19 casos em Portugal.

Amanhã há dose dupla contra portistas

2022-01-29 07:40:00 Jornal de Madeira

Quatro milhões de euros para 40 entidades desportivas

2022-01-28 06:55:00 Jornal de Madeira

Pesquisa

Partilhe

Booking.com

Email Netmadeira