2020-09-22 18:51:00 Jornal de Madeira

Sazonalidade do Porto Santo agravada devido à pandemia

O Porto Santo, depois do aumento de visitantes nos meses de verão, terá este ano a situação de sazonalidade ainda mais “agravada” devido à pandemia da covid-19, disse hoje o presidente da Câmara Municipal da ilha. “Depois do verão segue-se, naturalmente, um período onde existe uma clara redução de turistas na ilha”, afirmou o social-democrata Idalino Vasconcelos à agência Lusa. O autarca complementou que “o conceito de sazonalidade acentua-se ainda mais e agrava-se em especial devido à pandemia de covid-19, em especial numa ilha que é um concelho, rodeado por água, onde o acesso ao exterior, apenas se pode fazer por via aérea e marítima”. O Porto Santo tem uma população residente na ordem das cinco mil pessoas, que nos meses de verão mais do que triplica, sendo o destino de férias preferido da maioria dos habitantes da ilha da Madeira. O responsável referiu que uma das agravantes para a diminuição de turistas é o cancelamento da operação semanal com o voo direto da Dinamarca, que excluiu Portugal dos corredores seguros, sem fazer distinção da Madeira. “A única alternativa do Porto Santo, como é do conhecimento geral, é o turismo e tudo o que gira à volta disso”, argumentou, considerando que “trazer operadores turísticos é um trabalho árduo”. Realçando todo o envolvimento do Governo Regional e do próprio Secretário Regional do Turismo madeirense, Eduardo Jesus, em articulação com a Associação de Promoção, o autarca apontou que “perder um operador é um forte revés”. “Mas, evidentemente, não podemos baixar os braços. Vamos continuar a trabalhar, em conjunto, para merecer a confiança dos operadores nos nossos destinos Madeira e Porto Santo”, vincou. Idalino Vasconcelos adiantou que existe “confiança” nas autoridades de saúde da Madeira e na sua capacidade de “suster os efeitos nefastos da contaminação e evitar o maior número de contágios”, apelando ao cumprimento das recomendações por parte da população. “Julgo que o esforço que tem vido a ser feito pelo Governo Regional da Madeira, em termos de saúde e em especial de economia são de enorme eficácia e muito importantes para as nossas populações”, sublinhou. O autarca porto-santense realçou “toda a panóplia de apoios importantes para os cidadãos e empresas do Porto Santo” que tem sido disponibilizada, em articulação com as autoridades da região. Também afirmou a importância de “todas as medidas tomadas, desde o confinamento obrigatório, o encerramento dos portos e aeroportos e até a utilização de máscara” para o aumento do número de casos. “Estou certo que estaríamos bem piores se não fossem essas medidas. Em relação ao comércio local, e tendo em conta que era difícil contar com o operador inglês, alemão e dinamarquês, a nossa aposta passaria pelo turismo nacional e especialmente o turismo regional”, recordou. O presidente do município considerou que “a salvação” da ilha nos meses de verão foi o turismo regional e a aposta na solução “faça férias cá dentro”, que veio ajudar a economia local. “Não podemos dizer que tivemos uma enchente nos meses de verão, mas foi melhor do que estávamos à espera”, concluiu.

Machico recomenda cuidados em dia de visita aos cemitérios

2020-10-27 14:56:00 Jornal de Madeira

Madeira com mais 16 casos de covid-19, de acordo com a DGS

2020-10-27 14:32:00 Jornal de Madeira

Confraria realiza encontro no Porto Santo

2020-10-27 13:09:00 Jornal de Madeira

Pesquisa

Partilhe

Booking.com

Email Netmadeira