Mais de 80 crianças na maior aula de Natação do mundo no Lido
Mais de 80 crianças entre os cinco e os nove anos participarão, no próximo dia 20, na Maior Aula de Natação do Mundo, a acontecer entre as 10h30 e as 11 horas de quinta-feira, feriado, no Complexo Balnear do Lido. O evento, que visa alertar para a importância das aulas de natação na prevenção do afogamento, é promovido pela WLSL, realizando-se em mais de 600 locais de mais de 50 países, na mesma data. A empresa FrenteMar Funchal, gestora dos complexos balneares do município, associa-se a esta mega-iniciativa, que decorre globalmente sob o lema “as aulas de natação salvam vidas”, procurando promover a aprendizagem e a prática desta modalidade desportiva como forma de reduzir os acidentes aquáticos e o afogamento. Refira-se que a cidade do Funchal será a única em Portugal a fazer parte da edição de 2019 desta iniciativa que contou, desde a primeira hora, com o apoio da Câmara Municipal para a sua realização na cidade. Parceira neste evento é também a Associação de Natação da Madeira que organiza a participação de seis clubes de natação. Recorde-se que o afogamento é uma das cinco causas mais frequentes de acidentes que provocam a morte, atingindo maiormente crianças entre os 1-14 anos de idade. E que as crianças com idades entre os 0 e os 4 anos são as principais vítimas de morte por afogamento nos últimos anos no nosso país. Em 2015 foi atingido o número assustador de 360 mil vítimas mortais por afogamento em todo o mundo, tornando este num problema de saúde pública global. Só Portugal, nos últimos 15 anos, ocorreram 238 afogamentos com desfecho fatal para crianças e jovens, sendo que a maioria destes acidentes aconteceram em piscinas, nomeadamente em ambiente doméstico. “Trata-se de uma temática evidentemente importante, face à qual a Frente MarFunchal vem reforçar o apelo à prevenção e sublinhar que qualquer que seja o investimento realizado para dotar as praias com condições de segurança, só será possível prevenir acidentes aquáticos com a contribuição de todos: funcionários, nadadores-salvadores e utentes”, lê-se na nota de imprensa. “A primeira linha de prevenção de uma situação de afogamento é a supervisão. Por isso, as crianças nunca devem ficar sozinhas perto do mar ou das piscinas. A FMF apela aos pais, avós, professores e a todos aqueles que acompanham as crianças à praia para seguirem e fomentarem uma cultura de segurança e de prevenção que passe também por aprender a nadar”.
Ler mais
Fonte: Jornal de Madeira

Mostrar mais notícias
Carregando...