BE diz que a riqueza da Madeira “está a ser apropriada apenas por alguns”
Numa ação de campanha hoje junto ao Mercado dos Lavradores, Rui Ferrão apelou à participação da população nas eleições do dia 26 de maio e ao voto no BE.  A intervenção de hoje do candidato esteve focada na pobreza no espaço europeu. Para Rui Ferrão, “urge” combater a pobreza, “o pior inimigo das democracias e dos direitos que as compõem”, lembrando que "as sociedades com maior qualidade de vida exibem menos desigualdades". Rui Ferrão recordou que a União Europeia tem como meta a redução para 20 milhões de pobres até 2020, mas criticou que a mesma siga “orientações políticas com efeito contrário”, tendo, neste momento, “120 milhões de cidadãos em risco de pobreza (25% da população total)”. Na Região, “são inúmeras as razões da pobreza", disse, enumerando-as de seguida: “a falta de investimento nos serviços sociais, a flexibilização e a precariedade do trabalho, os baixos rendimentos dos salários e pensões, o desemprego e os custos da habitação mais elevados do país”. Para Rui Ferrão, “o Governo Regional diz que a economia da Madeira está a crescer, mas o crescimento da riqueza não chega às pessoas, é apropriada apenas por alguns”. O resultado deste modelo de crescimento económico “traduz-se nos 81 mil madeirenses, 31,9% da população, que vivem em risco de pobreza e exclusão social, mais 5% que em 2017”. “Esta é a maior evidência do falhanço do Governo do PSD na Madeira – a pobreza, a emigração e o decréscimo da população”, criticou, acusando o governo de estar a combater a pobreza regional “sobretudo com caridade”, quando devia estar a responder “com emprego, salários decentes e acesso universal aos serviços públicos". Por outro lado, o bloquista defendeu que a habitação se torne “um direito humano” e prometeu que os candidatos do BE eleitos para o Parlamento Europeu vão bater-se pela "criação de uma Estratégia Europeia Integrada de Combate à Pobreza e Desigualdades, com objetivos comuns para todos os Estados, e pela aprovação de uma Diretiva Comunitária relativamente a esquemas de Rendimento Mínimo na União Europeia".
Ler mais
Fonte: Jornal de Madeira

Mostrar mais notícias
Carregando...