Nova Mudança acusa executivo de meter “namoradas, sogras, filhos e genros” na câmara do Funchal
Roberto Vieira, da Nova Mudança, criticou hoje duramente Paulo Cafôfo, acusando-o de “mentir aos eleitores para saltitar de poder em poder, de poleiro em poleiro, sem qualquer pudor”. “Passa a vida em campanha eleitoral fora da câmara e em horário laboral, roubando literalmente os munícipes que continuam a pagar o seu salário”, disse, na intervenção realizada nas cerimónias comemorativas do 25 de abril, no Município do Funchal, considerando essa uma “atitude típica de ditaduras”. Para o deputado municipal, “durou pouco” o projeto que pretendia “defender os mais desfavorecidos”. “Durou quase nada até que surgissem saneamentos e expulsões”, e “percebeu-se cedo que não passava de uma farsa, de um logro ao serviço de uma pessoa que passa por cima de tudo e de todos para não perder o poder conquistado com a ajuda de verdadeiros democratas”, afirmou. “Foi pena porque depois de anos e anos de um PSD opressor e antidemocrático, saiu-nos esta rifa; um indivíduo que roubou o sonho da mudança”, e que tem “sede de poder”, mas que está “cada vez mais só”. Comparando o PSD ao PS, Roberto Vieira disse que um é o “roto” e o outro o “esfarrapado”. “O perigo para a democracia é permitir que cortinas de propaganda financiadas com dinheiro dos munícipes impeça uma avaliação transparente e verdadeira de quem foi eleito com mentiras”, adiantou ainda. Roberto Vieira afirmou, por fim, que a “fragilidade da liberdade dos cidadãos é posta à prova quando se mantém ou se metem famílias, que vão desde as namoradas, às sogras, a passar pelos filhos e genros – toda esta gente a trabalhar na nossa autarquia e a fazer negócios com familiares que têm escritórios ou empresas lá fora”, ao mesmo tempo em que se “perseguem a trabalhadores que não são da mesma cor política”.
Ler mais
Fonte: Jornal de Madeira

Mostrar mais notícias
Carregando...



Se ainda não gosta de nós no Facebook faça like