Mais de 100 crianças morreram no espaço de dois meses vítimas de sarampo na RDCongo
Mais de uma centena de crianças com menos de 10 anos de idade morreram no espaço de dois meses, vítimas de sarampo em Bunia, província de Ituri (nordeste) na República Democrática do Congo (RDCongo), foi hoje noticiado. Em declarações à rádio Okapi, que opera ao abrigo da missão de paz das Nações Unidas para a RDCongo (MONUSCO), o diretor do hospital de Bunia, Ignace Bingi, disse que as mortes incluem "sarampo e outras doenças relacionadas com a falta de saneamento [básico]" e refere que se registam óbitos de crianças todos os dias. Todos os deslocados que estão nas instalações do hospital de Bunia deixaram as suas aldeias por temerem abusos de grupos armados. Ignasse Bingi disse que as situações que conhecem são parte dos dramas [dos deslocados]. "A situação é alarmante", frisou. Segundo a rádio Okapi, a organização não-governamental Médicos Sem Fronteiras (MSF) da Suíça confirma que a situação é preocupante. Os profissionais de saúde lançaram uma campanha de vacinação contra o sarampo junto de 67 mil crianças em Ituri, região no nordeste da RDCongo, devastada pelo conflito armado e pelo vírus do Ébola, anunciou hoje a Unicef. Em junho último, estavam contabilizados perto de 115.000 casos suspeitos de sarampo, quase o dobro dos 65.000 registados em 2018, segundo a Unicef. "É verdade que algumas pessoas mudaram recentemente. Nós não sabemos as suas situações de vacinas". Os MSF, em colaboração com o Ministério da Saúde [da RDCongo], referem que é importante vacinar rapidamente as crianças contra o sarampo para reduzir a mortalidade ", disse Selya Burnand, chefe dos MSF em Bunia.
Ler mais
Fonte: Jornal de Madeira

Mostrar mais notícias
Carregando...



Se ainda não gosta de nós no Facebook faça like