Gigantesca cabeça de lobo com 32.000 anos descoberta na Sibéria
Uma gigantesca cabeça de lobo, com uma idade calculada em 32.000 anos e com o cérebro e dentes intactos, foi descoberta na região gelada da Sibéria, informou hoje a Academia de Ciências local. Em comunicado, a academia especifica que a cabeça, coberta de pelos, parecida com a de um mamute, foi encontrada no verão passado no “gelo eterno”, à beira de um rio em Yakutia (Sibéria Oriental), por um morador. Entregue na Academia de Ciências de Yakutia, a descoberta foi estudada por paleontólogos russos e japoneses, que estabeleceram que era uma cabeça de lobo do Pleistoceno (“Canis dirus), com 32.000 anos. O tamanho da cabeça, com 41,5 centímetros de comprimento, corresponde a metade do corpo de um lobo contemporâneo, cujo comprimento varia entre 66 e 86 centímetros, refere o comunicado. Concluiu-se que o lobo do Pleistoceno "era enorme”, acrescenta a nota, explicando que a cabeça “contém um cérebro intacto e que os dentes estão preservados” e considerando a descoberta como “sensacional”. Os tecidos e a pele também estão intactos, adianta a academia. “Esta é a primeira vez que descobrimos os restos de um lobo do Pleistoceno com tecido preservado”, afirma Albert Protopopov, da Academia de Ciências de Yakutia, citado no comunicado. O investigador acrescenta que vão agora compará-lo com os lobos contemporâneos para entender como ele evoluiu e reconstruir a sua aparência. O teste de ADN predatório será feito em cooperação com investigadores do Museu Sueco de História Natural.
Ler mais
Fonte: Jornal de Madeira

Mostrar mais notícias
Carregando...



Se ainda não gosta de nós no Facebook faça like