Madeira tem mais 696 empresas do que em 2018
Pedro Calado visitou hoje a Cidade do Empreendedor, no Tecnopolo, onde deu conta do que considera ser um crescimento acentuado da economia madeirense, como atestam o balanço positivo de 696 empresas entre o saldo de empresas constituídas e dissolvidas. “Entre 2018 e 2019 houve um acréscimo de mais 3% do número de empresas constituídas e um decréscimo de 6% do número de empresas dissolvidas. Neste momento na Madeira estão a aparecer muito mais empresas, no balanço vinca que são 696 a mais”, sublinhou. Na Cidade do Empreendedor, já depois de Eduardo Jesus, secretário regional de Economia e Turismo ter por lá passado, o vice-presidente do Governo Regional elogiou a AJEM por se lançar, mais uma vez, num “projeto de empreendedorismo, incentivando sobretudo novas empresas a avançarem com os seus negócios”. Valorizou esta iniciativa, também pelo facto de contribuir para que mais pessoas adquiram confiança para investirem nos seus próprios conceitos de empreendedorismo. “Estamos numa fase de muito crescimento, a economia da Madeira tem estado a crescer há 73 meses de forma consecutiva, temos trabalhado muito na redução da taxa de desemprego. Isso faz-se também com estas parcerias com jovens empreendedores e com os fundos comunitários”, argumentou. Crescimento que, no entender de Pedro Calado, “significa que a economia está bem, as pessoas estão confiantes, os jovens têm tido um bom feedback através de apoios comunitários para lançar novos projetos, e estas associações, como a AJEM, têm sido uma peça impulsionadora muito importante”. Enalteceu ainda as parcerias com outras regiões, como “Açores, Cabo Verde, Angola ou Guiné Bissau”. “É importante porque estamos a conseguir lançar novos empreendedores, novos empresários, as pessoas que tiveram a infelicidade de ficarem desempregadas têm conseguido criar os seus próprios projetos e estamos confiantes que no futuro vamos continuar nesta senda de crescimento económico, e vamos continuar a apelar na redução fiscal, quer em sede de IRC quer em sede de IRS, tentando também continuar a dar este apoio de fundos comunitários, que é muito importante para ajudar na criação de postos de trabalho”.
Ler mais
Fonte: Jornal de Madeira

Mostrar mais notícias
Carregando...



Se ainda não gosta de nós no Facebook faça like