Madeira lidera lista de estabelecimentos hoteleiros Green Key
A Região Autónoma da Madeira lidera, a nível nacional, a lista de estabelecimentos turísticos distinguidos com a marca Green Key. Os 57 galardoados receberam os respetivos diplomas esta tarde, no Jardim Botânico. Comparativamente a 2018, mais nove estabelecimentos hoteleiros, incluindo um restaurante do Porto Santo, foram distinguidos como empresas de turismo sustentável, 'amigas do ambiente'. O desempenho das empresas madeirenses neste âmbito foi destacado pela coordenador do Projeto Green Key, Fátima Vieira, que é também a diretora da Associação Bandeira Azul. Entre os galardoados estão unidaes hoteleiras que estão empenhadas em deixar de usar palhinhas e copos de plástico descartáveis, optando por outros materiais, e que também investem na redução dos consumos de água e de energia. O programa, de âmbito internacional, engloba hóteis, alojamentos locais, parques de campismo e restaurantes. Este ano, pela primeira vez, um restaurante (Ponta da Calheta) passa a integrar este lote. Miguel Albuquerque participou na entrega dos diplomas, acompanhado da secretária regional do Ambiente e Recursos Naturais, Susana Prada, e lembro que o arquipélago da Madeira é também detentor de um galardão que o distingue enquanto território com mais área protegida, terrestre (64%) e marítima (70% até às 12 milhas), apenas superada pela Venezuela e pelo Mónaco. "Penso que é algo que também deve fazer parte da nossa promoção turística", defendeu. O presidente do Governo Regional disse que não está alarmado relativamente ao ambiente apoiado na crença de que "a Humanidade e as sociedades mais avançadas" vão através das novas tecnologias enfrentar os novos desafios, quer ao nível dos recursos naturais, quer ao nível das alterações climáticas. "Uma das vantagens da evolução tecnológica é a desmaterialização, significa que estamos a utilizar menos recursos naturais e menos energia para obtermos os mesmos objetivos", defendeu. No domínio da prevenção dos incêndios, deu o exemplo de que com os drones e as câmaras de vigilâncias permitirão a utilização de recursos materiais e humanos. Albuquerque lembrou também que Madeira "será um dos territórios onde, dentro de pouco tempo, 50% da energia elétrica será produzida através de energias renováveis", referindo-se à central do Paul da Serra, que aposta na energia hídrica e na energia eólica.  
Ler mais
Fonte: Jornal de Madeira

Mostrar mais notícias
Carregando...



Se ainda não gosta de nós no Facebook faça like